O caminho a ser honrado

O caminho a ser honrado

Nesta imagem da esquerda para direita estão os verdadeiros ancestrais do Tarô, Antoine Court de Gébelin, Jean-Baptiste Alliette (Etteilla), Samuel Liddell MacGregor Mathers (fundador da ordem hermética golden down), Stanislas de Guaita, Josephin Peladan, Oswad Wirth (criador do Tarô cabalístico) e Eliphas Lévi (Alphonse Louis Constant) o maior ocultista do século XIX.

Os também precursores, Papus (Gérard Anaclet Vincent Encausse) fundador da ordem martinista, reeditou o Tarô dos boemios. Arthur Edward Waite e Pamela Colman Smith (criadores do Rider Waite Tarot), Aleister Crowley (Edward Alexander Crowley) e Marguerite Frieda Harris (criadores do Tarot de Thoth), importantes atores das atuais escolas de Tarô e kabbalah.

Os grandes mestres da humanidade Carl Gustav Jung e Anton Suitbert Hellinger. As autoras Sallie Nichols (Jung e o Tarô) e Alejandro Jodorowsky (juntamente com Philippe Camoin reeditou o Tarot de Marselha).

Os mestres que me iniciaram no Tarô, no hermetismo e na psicologia, a taróloga Verá Aché, o amigo e astrólogo Tato Neves, a astróloga humanista Antonella Grossi, Marianne Schaffner (criadora do Tarô sistêmico), a professora junguiana Sonia Tommasi e minha esposa e psicóloga Lília Ungarelli.

Outros que não disponho de fotos e igualmente importantes como o tarólogo russo G. O. Mebes, as autoras francesas Dicta e Françoise, a psicanalista junguiana Dra. Irene Gad e a professora, astróloga e taróloga Maria Celeste Rodrigues.

Estas pessoas são as vigas-mestras de um longo caminho ainda em construção. Certamente muitos outros contribuiram e não serão esquecidos pela força da egrégora do Tarô. A todos os mestres lembrados acima e também àqueles não citados neste momento, a minha singela homenagem, o meu reconhecimento e profunda gratidão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.